Travel Time

1 dia por Guimarães e Braga: o roteiro

Após toda uma temporada de chuva, quando o sol decide aparecer sempre há uma coisa que nos apetece fazer. Sair de casa e, se possível, ir, de roteiro na mão, até onde não se vai há um bom tempo; tempo suficiente para se precisar de criar e construir novas e frescas memórias.

Pensando nisso, que tal um dia em Guimarães (pela parte da manhã) e Braga (durante e após o almoço)?

 

Chegando ainda antes das 9h, deixamos o carro em Alameda Prof. Abel Salazar (uma rua com estacionamento gratuito, muito próxima ao centro), percorrendo, então, o restante roteiro a pé.

A partir do Largo República do Brasil (onde se pode contemplar, não só os jardins centrais, mas também a Igreja de Nossa Senhora da Consolação), passamos pela Zona de Couros (na qual temos a oportunidade de apreciar os vestígios deixados pelo tempo em que ainda se faziam as curtições de peles e couros) para chegar ao Largo do Toural (junto ao qual encontramos uma das torres da antiga muralha da cidade) e ao Largo da Oliveira (onde temos ao nosso dispor vários cafés e respetivas esplanadas ao redor da belíssima Igreja de Nossa Senhora da Oliveira acompanhada do Padrão do Salado).

Daí seguimos, para o Teleférico de Guimarães (na Rua Cônsul Aristides Sousa Mendes) onde pudemos, por apenas cinco euros e em somente dez minutos, chegar ao imperdível Santuário da Penha e disfrutar das maravilhosas e incomparáveis vistas da cidade.

De regresso ao carro, dirigimo-nos para o Paço dos Duques de Bragança (junto ao qual encontramos a tão conhecida estátua), passando pela pequena Capela de São Miguel (onde dizem ter sido batizado D. Afonso Henriques) e chegando ao Castelo de Guimarães (que, com valor de entrada unitária de dois euros, nos oferece, para além da possibilidade de percorrer as várias torres, a oportunidade de saber um pouco mais e melhor acerca da história associada).

Depois de conduzir até Braga e almoçar nas Frigideiras do Cantinho, enveredamos por um pequeno e rápido percurso pelo centro: conhecer a Capela dos Coimbras, observar a curiosa fachada do Palácio do Raio, passar pela Avenida da Liberdade, parando no Theatro Circo e chegando ao Convento dos Congregados, contornar a Arcada, dedicar uns minutos ao Castelo de Braga, aproveitar os jardins de Santa Bárbara, entrar na Igreja da Misericórdia e na Sé de Braga, passar pelo Arco da Porta Nova (que justifica a tão conhecida referência a Braga quando se deixam portas abertas) e chegar ao Campo das Hortas.

Em menos de uma hora, estamos mais do que despachados para voltar ao carro e partir para o Elevador do Bom Jesus, onde sugiro que se compre apenas o bilhete de ida (por 1,20€) para se poder, depois de conhecer o Santuário e explorar os seus redores, ter a oportunidade de descer a bela escadaria e aproveitar as vistas oferecidas no seu decorrer.

Daí, seguimos para o maravilhoso Santuário do Sameiro onde pudemos vislumbrar o lindo sol do fim de tarde.

 

Também podes gostar!