Travel Time

Aveiro: não só pelos ovos moles!

De carro, autocarro ou comboio, chegar a Aveiro é surpreendentemente fácil e acessível; quer para os mais conhecedores da zona, quer também, acreditem em mim (uma assumida desorientada, até com a ajuda de GPS), para os que lá põem os pés pela primeiríssima vez (da qual, pelo menos, têm memória!). Orgulhosamente conhecida como a Veneza Portuguesa; pode e deve ser descoberta, não exigindo, para isso, mais do que um único dia.

Indo-se de carro, começar pela Praia da Costa Nova (com a Igreja Matriz da Costa Nova) é uma excelente ideia; não despendendo mais tempo do que o necessário e fazendo valer a pena o ligeiro desvio. Para além do extenso areal e dos passadiços alternativos; oferece-nos a possibilidade de vislumbrar lindas casas coloridas e descobrir algumas das muitas salinas dali características.

Regressando ao centro, a melhor alternativa é dirigirmo-nos diretamente para o Parque Infante Dom Pedro onde podemos, depois de muito passear e muitas fotografias tirar, fazer um belo de um tranquilo (caso a companhia dos patos não seja problema) piquenique com uma maravilhosa vista: árvores (de todos os tamanhos e feitios) não faltam, água é do que mais há e pontes até são algumas.

Recuperadas as energias, eis duas coisas que não se pode deixar de fazer na parte da tarde. Andar de moliceiro (tendo, para isso, como melhor opção recorrer a um dos variados vouchers disponíveis no Odisseias) e vaguear de BUGA (bicicletas de utilização gratuita de Aveiro, em troca das quais apenas é necessário deixar um documento identificativo por precaução).

Graças a um e pela outra, podemos ver praticamente tudo o que há de melhor para ver: de um canto ao oposto extremo da pequena cidade, passando pela ria de Aveiro e parando numa das muitas alternativas disponibilizadas para comprar os tão conhecidos (e deliciosos, deixem-me que vos diga!) ovos moles (que, com certeza, a família e os amigos estão à espera que levem para provar), encontraremos expressões físicas da Arte Nova, poderemos deixar a nossa marca na incomparável ponte dos laços, teremos a oportunidade de ir às compras no Fórum e aproveitaremos para subir a muito falada escadaria.

Sem darmos por isso, o fim do dia já se faz sentir e, de coração cheio, podemos regressar a casa; com a consciência, então, tranquila e serena. Cidade a cidade conhecemos nós, assim, Portugal! Qual a próxima?

Também podes gostar!