Conduzir um carro? Difícil…

Aproveitando o artigo passado referente às despesas que ter um carro implica, decidi alongar-me um pouquinho mais e desabafar um tanto ou quanto sobre o quão de paciência precisamos reunir para o conduzir na estrada junto com outros seres cujas capacidades podem por vezes, demasiadas vezes, ficar aquém do esperado e socialmente exigido. Pode parecer …

Unhas compridas: ter ou não querer?

Não sou e jamais serei a única pessoa a ver-se rendida a alguma coisa que até então julgava desnecessária ou mesmo ridícula. E, falando sério, tal vai suceder-se vezes e vezes sem conta. Caso contrário, que outra verdade sustentaria tão bem o provérbio “Nunca digas nunca”, segundo o qual não devemos criticar os outros por …

Consumo consciente: não é que possamos, mas sim que devemos!

“Quando (caminhamos para nos) virarmos minimalistas, temos tempo para contemplar quem somos, o que achamos importante e o que nos faz realmente felizes”. Redefinimo-nos “pelo que fazemos, pelo modo como pensamos e por quem amamos, e não pelo que compramos”. “Ficamos satisfeitos com o essencial. Consumimos o mínimo possível, conscientes de que os recursos são …

Copo menstrual: o ideal

Enquanto mulheres em idade fértil, é-nos impossível fugir àquela “altura do mês” que tantas dores de cabeça nos provoca, de forma mais ou menos literal. Física e (até muito mais) psicologicamente, é inegável que mexe connosco. Mas, visto ser algo incontornável, que tal reclamarmos menos e gastarmos, antes, o nosso tempo pensando em soluções que …

A minha rotina de cuidados com a pele

Usando ou não diariamente muito ou, quase nenhuma maquilhagem, é inevitável que ao longo do dia a pele do nosso rosto, total e inevitavelmente exposta, absorva todo e qualquer tipo de poluição e sujidade. Embora alguma mais visível do que outra, todas comprometem a nossa saúde e por isso é muito importante que nos preocupemos …

Pílula anticoncecional: o que implica afinal?

Com treze anos acabados de celebrar, precisei queixar-me à minha médica de família das cólicas infernais que me impediam, pois, de ir para a escola. Qual a primeira e única solução que me apresentou, sem realizar quaisquer exames ou fazer determinadas perguntas? Começar naquele momento a tomar uma pílula anticoncecional. Na altura? Não ,não questionei. …